segunda-feira, 19 de abril de 2010

Acalanto

(para V.)

Se na jornada perderes o ânimo
e como selva se escurecer o caminho,
e extinguir o lume a esperança,
não sintas medo da vida.
Lembra-te: em algum lugar
há alguém sempre pensando em ti.

Se me chamares e eu não ouvir,
acaso eu estiver imerso
no sono das distâncias,
deixa o recado no primeiro vão
de perobeira, nos limites da estrada,
ou sob uma pedra assinalada.
Algum anjo-viandante o trará até mim.

E eu te alcançarei, te trarei comigo
para que em meu coração
adormeças a alma cansada.
A minha choupana será teu abrigo.
De bálsamo se cobrirá o meu olhar.
Para ti guardei o riso, o amor -
pão que sacia todas as fomes.

Não te inquietes, não sintas medo.
Descansa! Durma, apenas durma.
Quando surgir o novo dia, e novamente
o sol dourar as sinuosas vias do destino,

eu cuidarei de ti.



Photo: © arocha, 2010
Sítio Nascente do Sol


3 comentários:

Anônimo disse...

"Deixa o recado no primeniro vão de perobeira... Algum anjo-viandante o trará até mim..."
Olha!este anjo já passou por mim...
Lindo tudo que escreves aqui.
Muita luz
Ana

SIR disse...

literalmente parabens,paisagem perfeita,obra prima feito por Deus,amo a natureza e são nessas imagens de beleza explendida que vejo o quanto é perfeito as obras de Deus.

veridianes disse...

Obrigado!
Realmente lindo!